COVID-19: África com record de mortes e de recuperados

África registou um recorde de 834 mortos em 24 horas devido à COVID-19, com o total a subir para 16.434, tendo mais de 770 mil infetados, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de casos positivos subiu para 770.300, mais 23.808 nas últimas 24 horas, também um dos valores diários mais elevados, havendo 436.698 pessoas recuperadas, mais 39.917, igualmente um recorde.

A África Austral regista o maior número de casos (410.457) e de mortos (6.253), mais 13.848 casos e 581 mortos nas últimas 24 horas, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais infectados e mais mortos em todo o continente, com 394.948 casos (mais 13.150) e 5.940 vítimas mortais (mais 572).

O Norte de África conta 6.085 mortos, tendo 141.569 infecções.

A África Ocidental contabiliza 1.760 mortos e 112.902 casos, a África Oriental regista 1.466 vítimas mortais, tendo passado hoje os 60 mil casos (61.347), enquanto na África Central há 870 mortos e 44.025 infecções.

Depois da África do Sul, o Egito é o segundo país com mais vítimas mortais (4.440) e 89.745 casos, seguindo-se a Argélia, com 1.102 mortos e 24.265 infetados.

Entre os cinco países mais afetados, está também a Nigéria, com 813 mortos e 38.344 casos positivos, e o Sudão, com 706 mortes e 11.127 infetados.

Em relação aos países africanos lusófonos e segundo dados das autoridades locais, Cabo Verde é o que tem mais infecções (2.190, dos quais 21 mortes), enquanto Angola lidera em termos de vítimas mortais – 33 mortos entre os 812 casos diagnosticados.

A Guiné-Bissau regista 1.949 casos positivos, que resultaram em 26 mortes, enquanto Moçambique contabiliza 1.582 casos e 11 vítimas mortais.

São Tomé e Príncipe tem 746 casos de infecção pelo novo coronavírus, que causou 14 mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há várias semanas 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC, embora as autoridades equato-guineenses relatem menos casos positivos (2.350) e o mesmo número de falecimentos.

O primeiro caso de COVID-19 em África surgiu no Egpito em 14 de Fevereiro e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de Fevereiro.