Chá verde: pesquisa da UNICAMP mostra efeitos positivos da bebida no combate ao diabetes e problemas renais

Consumo diário de chá verde foi capaz de amenizar problema renal em pacientes, mostrando-se mais poderoso que medicamentos.

Uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Campinas mostrou os efeitos positivos do chá verde para quem está com diabetes. A pesquisadora Cynthia Borges e seu orientador, o médico José Butori Faria, focaram os estudos nos efeitos do chá verde em problemas renais causados pelo diabetes.

O diabetes é uma das principais causas de doenças nos rins. Estima-se que 45% de todos os novos casos de problemas renais estejam relacionados ao excesso de açúcar no sangue.

Os rins são os órgãos ‘filtradores’ do corpo humano, que ‘limpam’ o sangue de moléculas nocivas ao organismo e impedem que componentes importantes para nós – como as proteínas – sejam eliminados pela urina. Porém, danos nos rins podem provocar complicações nesse equilíbrio. Uma dessas complicações é a albuminúria – isto é, quando uma proteína chamada albumina acaba sendo eliminada em excesso na urina. A albuminúria é uma consequência comum em pessoas que convivem com o diabetes há algumas décadas.

Chá verde: uma proteção natural para as células dos rins

Essa albumina provém do sangue do indivíduo. O sangue passa pelos rins originando o que chamamos de ‘ultrafiltrado’, e é esse ‘ultrafiltrado’ que, depois de sofrer algumas transformações, dá origem à urina. No ‘ultrafiltrado’ de uma pessoa normal, a quantidade de albumina é muito baixa. Porém, no paciente com doença renal em decorrência do diabetes, ela se torna bem maior”, explicou, em entrevista à Agência FAPESP, o médico José Faria.

Tanto o chá verde quanto o chá preto já se mostraram poderosos contra o diabetes.

O estudo científico brasileiro focou nos efeitos do chá verde em relação à albuminúria. Diabéticos portadores de doença renal receberam o melhor tratamento atualmente existente para os rins e, adicionalmente, durante 12 semanas, ingeriram o equivalente a três xícaras de chá verde todos os dias.

Após esse período, a pesquisa mostrou que houve redução de 41% na perda da albumina através da urina. A taxa é significativa, e tem um caráter especial: os diabéticos que participaram deste estudo foram escolhidos, pois continuavam a eliminar excesso de albumina na urina mesmo tomando medicamentos. Após o tratamento com o chá verde, porém, houve esta notável diminuição na condição.

Os cientistas acreditam que os princípios ativos do chá ajudam a manter vivas as células dos rins que barram a passagem de proteínas para a urina.

A farmácia da natureza
Falando em chás, não é só o chá verde que possui propriedades poderosas contra o diabetes. Em 2012, o Diabeticool noticiou uma pesquisa, realizada com milhares de pessoas em diversos países do mundo, que mostrou que o consumo habitual de chá preto diminui os riscos de desenvolvimento do diabetes tipo 2.

Além disso, outros trabalhos científicos mostraram que o chá preto pode reduzir em até 60% os riscos de ataques cardíacos.

Tratamento para os rins a caminho?
O estudo traz grandes esperanças para quem sofre de problemas renais, ainda mais por mostrar que um composto natural é capaz de ajudar o organismo a funcionar melhor. Todavia, os dados ainda não são suficientes para receitar, com ‘certeza científica’, o chá verde como um tratamento contra os efeitos do diabetes nos rins. “Nosso estudo foi realizado com um grupo pequeno de indivíduos. É preciso reproduzi-lo em um grupo maior, com mais tempo de acompanhamento. De qualquer forma, o resultado obtido é bastante expressivo e promissor”, explicou Faria.

Para quem achou um ‘exagero’ tomar o equivalente a três xícaras de chá verde todos os dias, o médico ainda notou que os efeitos colaterais observados foram “mínimos”. Mais um motivo para aproveitar o friozinho do inverno, esquentar a água e deliciar-se com uma gostosa – e saudável – xícara de chá.

Fonte: Diabeticool